Categorias
Leonora

Como minha empresa pode Inovar?

Cada vez mais vemos as empresas buscando inovação para o seu negócio, para se diferenciar de seus concorrentes, enxugar seus custos e otimizar os recursos empregados no seu processo produtivo, e cada vez mais vemos as empresas não entenderem como elas podem inovar no seu dia-a-dia.

Veja, pintar uma sala do seu escritório com cores vibrantes e colocar puffs no lugar de cadeiras não é inovação, é apenas uma forma criativa de decorar um espaço. 

Para inovar, as empresas precisam entender que isso é um processo, assim como o comercial, ou até mesmo o contábil, e pode ser desenhado por ferramentas de BPM (Business Process Management).

O que diferencia o primeiro dos demais, são as metodologias disruptivas e os programas de inovação que a empresa pode participar. E falando nesses programas, vamos falar sobre alguns tipos aqui embaixo: 

  • Programas de Open Innovation: Os programas de Open Innovation (ou Inovação Aberta) estão crescendo muito nos últimos anos aqui no Brasil, com empresas criando os seus, mas principalmente se conectando com Hubs que oferecem Programas de Inovação Incremental. Estes programas consistem em a empresa mapear as suas dores, problemas e objetivos internos, e com isso, ocorre uma busca por Startups que possam auxiliar na resolução do que foi definido previamente, e com isso, mapeando todas as etapas da implementação da solução na empresa.
  • Programas de Intraempreendedorismo: O intraempreendedorismo consiste em encontrar oportunidades de empreender e inovar dentro da própria empresa, aproveitando os colaboradores que se interessam por empreendedorismo, criatividade e inovação. Com o apoio do negócio, eles podem desenvolver novos produtos, serviços ou processos. Algumas empresas implantaram seus próprios programas, mas a maioria teve problemas com qual metodologia empregar em um programa como esse para que os colaboradores possam se desenvolver como líderes, empreendedores e ao mesmo tempo continuar com as suas atividades no dia-a-dia da empresa, sem impactar a sua produtividade. Por isso, nos últimos anos, as empresas que oferecem este tipo de programa para as empresas estão começando a ganhar força no cenário nacional, e já trazendo resultados para as empresas. 
  • Corporate Venture Builder: Um novo modelo que vem ganhando força no Brasil são as Corporates Venture Builders, que tem como objetivo primário resolver dores primárias da Corporate e ajudar em objetivos de mercado futuro. Mas não é só isso. Como o nome diz, existe a parte de Venture Builder dentro deste tipo de modelo de negócio, e as Venture Builders são organizações que atuam sistematicamente no desenvolvimento de startups, aportando seus próprios recursos, em troca de uma parte do Equity dessa empresa, então é de extrema importância que, além de resolver as dores da Corporate, a CVB consiga dar tração das empresas que estão no seu portfólio. As CVB’s também são consideradas como programa de Open Innovation, mas de uma forma mais robusta e com uma duração um pouco maior, enquanto uma rodada de programas de inovação incremental duram 12 meses, com 3 resoluções de problemas, o modelo de CVB dura em média 5 anos e abarca até 30 Startups no portfólio. Este tipo de programa tem busca além da inovação, pois conta com uma forte tese de investimentos, que busca trazer retorno para seus investidores. 

É consenso que a inovação, quando bem feita, traz diversos benefícios para as empresas, como novos modelos de negócio, novas formas de receita, além de aumentar a sua competitividade frente aos concorrentes em que atua e impactar seus clientes com as inovações que busca trazer para o mercado. 

Se você quiser conhecer mais sobre como a sua empresa pode inovar, basta procurar a Leonora Ventures nas redes sociais que estaremos prontos para ajudar a crescer o seu negócio, e entrar definitivamente no mundo da inovação!

Bruno Bicca

Analista de Inovação – Leonora Ventures

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *